Saiba se você é um gestor atualizado respondendo 2 perguntas

Muitas empresas, principalmente Startups, fazem uso desenfreado de buzz words buscando transparecer modernidade mas, infelizmente, a maioria ainda está no século passado.

E nem precisamos ir muito a fundo. Quer um exemplo? Quantas empresas fazem uso da tecnologia e contratam funcionários para trabalhar remotamente? Então…

Outro ponto que é notório: sua empresa faz entrevistas de seleção de forma remota (via Skype ou alguma ferramenta similar)?

Praticamente nenhuma empresa ajuda financeiramente o candidato no deslocamento para entrevistas que, na quase totalidade dos casos, poderiam ser feitas de forma remota. Principalmente nos casos em que o candidato vem de muito longe ou irá concorrer a cargos de base. Cada vez mais tenho visto profissionais gastarem o dinheiro que não possuem para ir à uma entrevista.

Precisamos nos adaptar aos novos cenários, isso inclui entender que o país está passando por um momento delicado, mas também que a tecnologia veio para ajudar e encurtar distâncias. Deixem para uma entrevista presencial os candidatos que evoluírem no processo (ou seja, os que têm mais chances reais de serem contratados).

Qual seu objetivo profissional?

Recentemente estive envolvido com um projeto para reorganizar uma empresa. Dentre as atividades necessárias, mapear qualidades e defeitos da equipe atual e planejar próximos passos como contratações, demissões, etc. Neste processo procurei opiniões de profissionais de minha confiança sobre direcionamentos de recursos humanos. Eis que uma dessas pessoas me contou um caso interessante, que por acaso vai de encontro de como gerencio minha vida profissional.

Liguei para um candidato sobre uma nova oportunidade. Era uma promoção de seu cargo atual, e ele tinha as habilidades e qualificações corretas.

Desculpe, mas não estou interessado, ele disse educadamente.

Pressionei-o até que ele disse algo que realmente me confundiu. Ele me disse “já cheguei ao topo”.

Eu estava familiarizado com sua empresa atual e olhei para o CV novamente.

Ele não estava perto do topo. Ele precisaria de binóculos para ver o topo. Ele ainda não era nem um gerente.

Ele me explicou que chegar ao topo, para ele, significava que ele adorava o trabalho que fazia todos os dias, gostava da empresa que trabalhava, era tratado sempre justamente e com respeito por seus companheiros de trabalho, ganhava o suficiente para se sentir confortável, tinha flexibilidade e, o mais importante para ele, nunca perdeu um único jogo de futebol, jogo escolar, reuniões de pais e mestres, aniversário ou qualquer evento familiar.

Ele sabia o que significava o próximo passo em sua carreira. Menos tempo livre, mais viagens e sacrifícios que não valiam a pena diante de seus objetivos.

A definição de chegar ao topo é individual. Não se deixe levar por um “guru do RH” ou a definição da sociedade.