O Governo e sua arte de ferrar com o empreendedor

O Governo e sua arte de ferrar com o empreendedor

O MEI foi criado para tirar muitos da informalidade, com um formato simples e com menos burocracia. Passam os anos e o que o Governo faz? Dá uma rasteira em algumas categorias, burocratizando e obrigando a mudança de algumas atividades para microempresa ou empresa de pequeno porte, trazendo todas obrigações contábeis.

Empreender no Brasil é cada vez mais difícil!

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/mudancas-nas-atividades-permitidas-para-o-microempreendedor-individual,c347ddf358658610VgnVCM1000004c00210aRCRD

Chega de empreendedorismo de palco e coaches!

Chega de empreendedorismo de palco e coaches!

Empreendo desde 1999. Em todo esse período de aventuras, altos e baixos, aprendi algumas coisas. Vou tentar listar parte desse aprendizado abaixo.

Empreendedorismo está na moda! E, como qualquer tema em evidência, com ele surgem uma legião de coaches e empreendedores de palco atrás de sonhadores. Eles vivem da venda de frases de superação e de promover a ilusão que qualquer um pode empreender e ter sucesso, bastando comprar um curso / e-book ou participar de um evento que irão aprender a receita do sucesso, em pequenas parcelas de X Reais.

Fazendo uma análise histórica, vejo que meus erros me moldaram muito mais do que meus acertos. Se nos sucessos eu comemorava, celebrava e compartilhava, nos fracassos eu precisava colocar minha humildade à prova, analisando e entendendo o que tinha dado errado, no que tinha errado, e aprendendo com isso.

Os empreendedores que alcançam o sucesso ou fracassam tem uma coisa fundamental em comum: ambas chegaram lá por conta dos erros que cometeram.

O mundo é dos sonhadores! Mas dos sonhadores com pé no chão, com objetivos viáveis e negócios consistentes. O mundo não é cor de rosa. Quanto mais rápido você cair na real, menos frustrante será sua jornada e maiores serão suas chances de sucesso.

Vamos as principais realidades dessa jornada:

  • Já no início você vai enfrentar um dos maiores vilões desse universo – o Governo e sua máquina da burocracia;
  • Sabe aquela reserva de dinheiro que você fez para segurar até dar certo? A tendência normal é que vá acabar antes de dar certo;
  • Invariavelmente em um ou mais momentos em sua jornada você vai precisar se ausentar por algum período de seu negócio, seja por um problema de saúde ou por imprevistos inerentes da vida. Esteja preparado para delegar atividades;
  • Por muitas noites você não vai dormir de preocupação. Acostume-se com isso e aprenda a classificar melhor as dificuldades para não confundir dias normais (que sempre possuem suas dificuldades) com dias fora do comum e assim dormir melhor;
  • Você vai chorar escondido, para sua família não ficar sabendo que nem tudo vai bem como planejado;
  • Sua família não vai te apoiar, e isto faz parte;
  • Quando a euforia inicial passar, você vai se sentir em vários períodos um fracassado. Não caia nesta armadilha;

Mas se você passar por tudo isso… Talvez mesmo assim não consiga ter sucesso! A realidade é que a maioria não consegue. Nem sempre o final é feliz!

A cada dia a evolução de nossa sociedade torna alguns ofícios obsoletos e cria novos nunca antes imaginados. Portanto, a tendência é que cada dia mais características empreendedoras serão essenciais para sobrevivência.

Portanto apoie seus amigos empreendedores! Principalmente os marinheiros de primeira viagem! Escute suas ideias, compre seus produtos, use os seus serviços e aplicativos e compartilhe seus posts sobre o negócio.

Empreender é uma jornada dura. Toda e qualquer crítica construtiva e apoio são válidos!

Empresário ou funcionário? Você está pronto para empreender?

Empresário ou funcionário? Você está pronto para empreender?

Tempos de crise trazem junto demissões. E, em um mercado abalado, novas oportunidades de postos de trabalho em empresas surgem com menor velocidade. Neste cenário é comum o pensamento: vou abrir meu negócio! Agora será mesmo que esta é a melhor alternativa?

Existem dois tipos de empreendedorismo: aquele buscado por necessidade e o motivado por oportunidade. Empreendedores por necessidade são aqueles que iniciaram um empreendimento autônomo por não possuírem melhores opções para o trabalho e precisam abrir um negócio a fim de gerar renda para si e suas famílias.

Já os empreendedores por oportunidade optam por iniciar um novo negócio, mesmo quando possuem alternativas de emprego. Em sua maioria têm níveis de capacitação e escolaridade mais altos e empreendem para aumentar sua renda ou pelo desejo de independência.

Enquanto o empreendedorismo por necessidade está mais suscetível à conjuntura econômica dos países e tende a diminuir quando a oferta de emprego é maior, o empreendedorismo por oportunidade tem maiores chance de sucesso e tem um forte impacto sobre o crescimento econômico de um país.

Dados do Global Entrepreneurship Monitor (http://www.gemconsortium.org/) indicam que países com maior desenvolvimento econômico possuem a razão entre oportunidade e necessidade é superior à dos demais. Na Islândia, por exemplo, para cada empreendedor por necessidade há outros 11,2 por oportunidade. Já países com menor desenvolvimento econômico apresentam razões menores entre os empreendedores por oportunidade e necessidade.

Entre os empreendedores por oportunidade, pesquisas recentes apontam que 43% o fizeram pela busca de maior independência e liberdade na vida profissional; 35,2% pelo aumento da renda pessoal; 18,5% apenas para a manutenção de sua renda pessoal, enquanto 3,3% citaram outros motivos. Agrupando os dois primeiros perfis, 78,2% vislumbram uma oportunidade de aprimorar a vida com o negócio que estão abrindo.

Falando dos empreendedores por necessidade, a taxa de mortandade de empresas nessa linha chega quase a 90% no primeiro ano. Ser expert em um segmento não significa sucesso empresarial. Gerir um negócio é muito mais complexo que muitos pensam.

Como consultor de negócios vejo muitos casos de ótimos técnicos em seu segmento porém péssimos empresários. Acontece que raramente esses futuros empresários contratam um consultor para validar sua ideia, seu modelo de negócios e sua capacidade para empreender. Além disso infelizmente o governo Brasileiro em nada ajuda o empreendedor. Alta carga tributária e burocracia entre as maiores e piores do mundo. O somatório destes fatores fazem com que novas empresas encerrem atividades antes do primeiro ano de existência.

Então, em que perfil se encaixa?

Pensando em empreender? Entre em contato comigo pelo e-mail contato@renanviegas.com.br.

Se você gostou deste artigo acho que vai gostar deste aqui:
A difícil arte de empreender no Brasil

A difícil arte de empreender no Brasil

A difícil arte de empreender no Brasil

Como consultor de negócios costumo atender, além de empresários já estabelecidos, pessoas físicas buscando informações, dados e validando modelos comerciais. Quando me deparo com um aspirante a empreendedor procuro inicialmente mapear meu cliente. Faço uma bateria de perguntas que me ajudam a traçar o perfil da pessoa e do negócio que pretender criar. Em alguns casos, já em poucas horas de consultoria, posso interromper o processo e alertar o cliente que ele não tem um perfil empreendedor. Que, para ter sucesso em sua empreitada, ele terá de mudar seu comportamento.

Empreender não é apenas ter dinheiro ou conhecimento em um segmento. Você pode ser um expert no que trabalha mas, se não estiver preparado para aprender e apanhar para obter experiência em toda a logística multidisciplinar que um negócio demanda, sua chance de fracasso é enorme.

Ter seu próprio negócio é trabalhar 90 horas semanais para não ter que trabalhar as 40 que trabalharia como funcionário. É estar disposto a não ter folgas nem férias durante um bom período.

Além de todos fatores listados acima, que são os mesmos desafios enfrentados por empreendedores no mundo inteiro, no Brasil ainda temos alguns complicadores: burocracia, leis trabalhistas ultrapassadas, judiciário lento e carga tributária alta.

Costumo dizer que o empresário Brasileiro é um dos mais bem preparados do mundo.

Vejamos as razões:

– Alugar um escritório, galpão ou uma loja sem saber se amanhã a região no entorno será segura. Sem política de segurança pública e com criminalidade crescente, o ponto comercial pode ir do sucesso ao fracasso em semanas;
– Esperar até três meses para obter um simples alvará de funcionamento (enquanto isso não pode funcionar e tem que arcar com despesas de locação sem ter receita);
– Gerar empregos através de uma lei que inviabiliza modelos de trabalho alternativos, com um sobrecusto de até 132% sobre o valor líquido que o funcionário recebe;
– Pegar um financiamento, com a maior taxa de juros do mundo, e arriscar seu pescoço em uma economia instável;
– Comprar insumos para produzir importados com câmbio flutuante;
– Receber e entrega insumos e produtos com atraso por problemas estruturais do país, como estradas esburacadas, falta de uma malha ferroviária e empresa de correios ineficiente;
– Ter sua produção paralisada por quase 20 dias no ano por causa de feriados municipais, estaduais e federais (fora os dias enforcados);
– Ver seu negócio ir do lucro ao prejuízo por barbeiragens econômicas governamentais que fazem o custo da energia subir mais de 60% em 6 meses;
– Ter interrupções inesperadas em sua infraestrutura de comunicações (telefonia fixa, móvel e internet) por concessões públicas executadas com má qualidade por fornecedores;
– Aguardar até 10 anos para que uma simples questão judicial seja resolvida;
– Engolir que o governo vai levar 30-60% do preço que seu produto ou serviço foi vendido sem ter te ajudado em nada;

Empreender não e para qualquer um! Empreender no Brasil é para herói!

Se você está preparado para encarar este desafio, entre em contato comigo. Minha consultoria pode lhe ajudar a conseguir vencer.