Google passa a considerar a versão Mobile para indexação e posicionamento nas buscas

O Google anunciou que a partir de hoje passa a posicionar e indexar os sites a partir da versão . Até ontem a versão desktop que era considerada. Com isso sites que não possuem versão mobile ou possuem problemas em sua versão móvel tendem a perder posições no resultado da busca. Abaixo a informação na íntegra:

“Rolling out mobile-first indexing
Posted: 26 Mar 2018 07:57 AM PDT

Today we’re announcing that after a year and a half of careful experimentation and testing, we’ve started migrating sites that follow the best practices for mobile-first indexing.

To recap, our crawling, indexing, and ranking systems have typically used the desktop version of a page’s content, which may cause issues for mobile searchers when that version is vastly different from the mobile version. Mobile-first indexing means that we’ll use the mobile version of the page for indexing and ranking, to better help our – primarily mobile – users find what they’re looking for.

We continue to have one single index that we use for serving search results. We do not have a “mobile-first index” that’s separate from our main index. Historically, the desktop version was indexed, but increasingly, we will be using the mobile versions of content.

We are notifying sites that are migrating to mobile-first indexing via Search Console. Site owners will see significantly increased crawl rate from the Smartphone Googlebot. Additionally, Google will show the mobile version of pages in Search results and Google cached pages.”

Entre em contato comigo para validar se seu site está pronto para performar bem nesses novos parâmetros. Tenho certeza que a Um Publicidade pode ajudar seu negócio a ter mais visibilidade!

Renan Viegas
[email protected]
http://umpublicidade.com.br

Saiba o que é CDN e por que você deve implementar em seu site

Todo webmaster e gestor de projetos web é familiar com a máxima que conteúdo é a arma de seu negócio. Porém, muitos não levam em consideração pequenos detalhes que podem diminuir a experiência de uso de sua audiência: o tempo de carregamento de uma pagina. Por mais irresistível que seja seu conteúdo, se ele demora a carregar, não irá atrair tanta atenção dos usuários e consequentemente provocar uma evasão de consumidores.

Então, qual solução devo adotar? A resposta é contratar um Content Deliver Network (CDN). Veja abaixo cinco razões:

  1. PerformanceO mais óbvio dos benefícios do CDN. Pela existência de cache, distribuição geográfica de servidores, o conteúdo é servido de maneira rápida, considerando o nó de rede mais próximo de seu requisitante. Isto reduz a latência e perda de pacotes, permitindo menor tempo de carga e maior qualidade em streaming.
  2. ConfiabilidadeCom a distribuição de seu conteúdo por vários servidores, uma eventual queda de rede de alguma rota não irá afetar em nada seu conteúdo. Mesmo sob ataques hacker como o DoS, a infra distribuída é capaz de neutralizar o impacto, mantendo a disponibilidade de seu site.
  3. Escalabilidade 

    Com o aumento crescente de dados (textos, imagens, vídeos, etc), você deve estar preparado para picos de tráfego com alto consumo de banda.

  4. Economia financeira 

    A partir do momento que você repassa conteúdos estáticos para servidores específicos para tal, o poder de processamento diminui e fica direcionado nos servidores de negócio, deixando a cargo do CDN o provimento desse conteúdo, reduzindo o custo total de hospedagem.

  5. Posicionamento no resultado de sistemas de busca 

    Além dos quatro benefícios citados acima, um outro ponto bastante importante surge em contexto: o posicionamento em sites de busca. Google e outros sites de busca possuem em seu algorítimo de posicionamento o tempo de carga de cada página. Quanto maior a velocidade de carga de seu site, maiores as chances de ter um bom posicionamento nos resultados de busca.

Empresas de todos os portes estão adotando esta solução. Microsoft, Oracle, IBM, portais de conteúdo e muitos outros já estão aproveitando os benefícios do CDN. E você, o que está esperando?