A compra da Pebble pela Fitbit e a mancha no financiamento coletivo

Depois de rumores publicados pela Bloomberg no dia 7 de Dezembro, um dia após a transação foi confirmada por ambos players (https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-12-07/pebble-said-to-discuss-selling-software-assets-to-fitbit). Claramente foi uma operação para matar a Pebble, já que era um player que estava atrapalhando as vendas da Fitbit, e somente os ativos de software foram negociados.

A notícia veio como uma bomba para o mercado de Crowdfunding, já que a Pebble surgiu a partir de um financiamento coletivo pelo Kickstarter e um segundo produto da mesma empresa também estava sendo comercializado pela plataforma. Acontece que o suporte para o produto foi encerrado, assim como sua garantia e as compras do novo modelo foram suspensas e o valor só será devolvido ano que vem.

4 razões para terceirizar demandas de tecnologia na pequena empresa

Toda empresa tem demandas de TI, desde uma simples consultoria pontual até o controle de seu parque tecnológico, gestão de backup, segurança, rede, desenvolvimento de sistemas, aplicativos, integrações, site, gestão de redes sociais, etc. Cada negócio tem suas necessidades e prioridades específicas, mas todas estas demandas listadas precisam ser planejadas e executadas, seja por um ou mais profissionais internos ou por um consultor ou empresa externos.

Abaixo listo 4 principais vantagens da terceirização de demandas e equipes:

1 – Redução de custos

Ter uma equipe de TI é algo incompatível com o orçamento da maioria das pequenas empresas. O custo de uma equipe própria e capacitada não é viável. A verdade é que um “assistente” (o famoso cara da informática) não dá conta do recado e, para ter uma equipe com gerentes e especialistas, é necessário investir em bons salários. Além dos custos com folha de pagamento, encargos trabalhistas e afins, ainda é preciso ter conhecimento para efetuar as contratações e manter esses funcionários na equipe.

A terceirização de TI apresenta um custo muito mais acessível, uma vez que a contratação, pagamentos e encargos ficam sob responsabilidade da empresa contratada. O cliente preocupa-se apenas com a execução do serviço, e o trabalho funciona como se a equipe fosse própria.

Em muitos dos casos não é nem necessário ter uma equipe de profissionais internos terceirizados pra isso, e sim contratos com consultores ou empresas de tecnologia que atendam tais demandas.

2 – Controle dos serviços

Contratando os serviços de um consultor você tenha uma visão completa e precisa. Relatórios frequentes dos serviços executados, de desempenho, do estado dos equipamentos (redes, hardware, software, telefonia) permitem que os gestores e responsáveis da empresa tenham um controle total. Este controle praticamente nunca é apresentado por funcionários próprios, seja por falta de comprometimento ou mesmo pelos gestores da empresa não terem conhecimento suficiente sobre indicadores e métricas.

3 – Know-how de especialistas

Uma empresa costuma utilizar diferentes tecnologias e sistemas, de diferentes marcas e fabricantes, que necessitam diferentes conhecimentos. Imagine o custo de um funcionário especialista para cada segmento da TI? Além do know-how em diferentes tecnologias, uma empresa terceirizada contratada tem o compromisso de capacitar e reciclar os conhecimentos da equipe constantemente, o que aumentaria bruscamente os custos para uma empresa caso a equipe fosse própria.

4 – Garantia de qualidade

A terceirização de TI pode englobar desde demandas pontuais até o gerenciamento de diversos serviços vitais para o negócio, como e-mails, sistemas operacionais, backups, contingência, segurança de dados, entre outros. Ao garantir o funcionamento e continuidade desses serviços, a empresa ou consultor que terceiriza a TI garante um SLA para reestabelecimento da operação, em caso de falhas, dentro de um determinado prazo – compromisso esse praticamente nunca assegurado por uma equipe de TI própria.

No caso de demandas pontuais esta vantagem é ainda mais destacada, pois normalmente pagamentos são atrelados a entregas e na maioria dos casos ainda são fornecidas garantias extras.

Pequenas empresas precisam reverem seus conceitos e buscarem um consultor ou uma empresa para terceirizar suas demandas de tecnologia.

É sócio ou trabalha em uma pequena empresa? Que tal começar por uma consultoria pontual para levantar seu atual panorama? Vamos agendar uma reunião ou mesmo uma teleconferência para conversar sobre isso? Abaixo meus contatos:


E-mail: contato@renanviegas.com.br
Skype: renanviegas
Celular: (21) 98374-8413

A indústria têxtil em breve sofrerá uma revolução

Screen Shot 2015-06-25 at 5.02.38 PM

Um dos setores industriais mais antigos do mundo em breve passará por uma grande revolução. Roupas deixarão de ser apenas simples tecidos, passando a ser uma nova interface de comunicação.

O conceito de Internet das Coisas (IOT – Internet Of Things) a cada dia passa a ser mais amplo e transparente. É uma tendência sem volta e, esta abordagem de uso de tecidos aumenta ainda mais as aplicabilidades. Em breve uma blusa será capaz de monitorar seus sinais vitais como batimento cardíaco, temperatura, dentro outros. Além disso será possível controlar compotadores, tablets, celulares e qualquer outro dispositivo apenas pressionando ou deslizando seus dedos pela roupa ou mesmo por movimentos de seu corpo.

O conceito de whereable romperá muitas barreiras e teremos uma nova onda de produtos inteligentes.

Veja abaixo o vídeo de um projeto do Google que está trabalhando com esta tecnologia:

Tecnologia x Gestão Antiquada = A constante batalha

Uma das grandes barreiras que sempre encontrei em empresas que tive contato, seja como funcionário ou consultor, é a gestão antiquada. Todo negócio é baseado em processos e, automatizar os mesmos gera eficiência e consequentemente lucro. É nesse ponto que começa a grande luta entre Tecnologia e Gestão Antiquada.

Um ótimo exemplo é o caso do Home Banking do Bradesco. O software foi desenvolvido em grande parte em Java, utilizando tecnologias de ponta, com ótima usabilidade, navegação e segurança porém, a gestão antiquada do banco torna o produto um elefante branco em alguns momentos. Imagine você ter acesso ao banco via Internet, com o objetivo de realizar uma transferência ou Doc sem precisar se dirigir a agência ou caixa eletrônico e, no momento do formulário é informado que precisa cadastrar favorecidos. Neste ponto ok, você imagina que vai se deparar com um processo digital normal de segurança.

Banco Bradesco - Limites

A navegabilidade já ficaria um pouco comprometida, claro, mas você releva contando que seria apenas um processo de navegação mal elaborado. Rapidamente você preenche o formulário com as informações e, quando para com mais atenção, lê o texto explicativo dizendo que você deve imprimir e levar na agência!

Banco Bradesco - Cadastramento de Contas

Como pode uma empresa obrigar um usuário que preferiu o meio digital para realizar suas operações bancárias ir em uma agência física? Total falta de coerência! Se para efetuar pagamentos de boletos com valores superiores ao tal “limite de segurança” só é necessitada a senha e token, qual o motivo para pra uma simples transferência condicionar cadastro e comparecimento a uma agência?

Este exemplo do Bradesco traduz muito bem o ponto que comento neste artigo. Antes de informatizar e automatizar sua empresa, pare e veja se seus processos estão coerentes. Muitas vezes você descobre que grande parte da ineficiência de um negócio pode estar em processos antiquados e/ou mal mapeados.

CES 2013 – O paraíso dos entusiastas de tecnologia

Considerada uma das mais importantes feiras mundiais de tecnologia, a CES (Consumer Electronics Show). A feira, que ocorre em Las Vegas, começou nesta terça e como sempre trouxe várias novidades. Fabricantes como Qualcomm, Panassonic, Kingston, Samsung, LG e uma infinidade de “desconhecidos” chineses estão exibindo suas apostas em produtos e tecnologias para um público de potenciais compradores corporativos, jornalistas, entusiastas e curiosos.

Os pontos fortes deste ano são produtos contectados, desde simples gadgets até linhas completas de eletrodomésticos e carros. Projetores, novos processadores Tigra 4 da NVidia, câmeras com Android e é claro, os campeôes de vendas mundias – os tablets – também tem presença forte no evento.

Uma das tecnologias mais apostadas na edição do ano de 2012 simplesmente não vingou: a TV 3D. Com uma baixa aceitação de mercado, poucas vendas e produção de conteúdo, a tecnologia se mostrou ainda a frente de seu tempo. Assim como Tablets, que tiveram uma tentativa comercial de mercado nos anos 90, com apostas da Apple (Newton) e outros fabricantes, acredito que a tecnologia 3D ainda vá vingar, mas em um médio prazo.

No campo televisivo, a aposta atual está em resolução. Inúmeros fabricantes estão exibindo produtos com resolução 4k (bem superior a Full HD que conhecemos).

Para quem não está por dentro, vale uma visita aos principais sites de notícias internacionais e nacionais. A quantidade de produtos é extensa, assim como as tecnologias utilizadas.

6 razões para utilizar Big Data

O conceito Big Data vem ganhando importância nos últimos anos. Com a crescente coleta de informações e a necessidade de produzir dados para apoiar decisões cada vez mais precisas, bancos de dados convencionais por si só não vem atendendo a demanda de capacidade para interpretar e gerenciar tal volume enorme de dados.

Áreas como a militar, médica, científica, meteorológica, biológica, biofísica, física, bioquímica, ambiental, econômica, genômica e geológica foram as primeiras a esbarrar com as limitações de capacidade de processamento de dados com bancos de dados convencionais. Terabytes de dados com demanda de processamento em um intervalo mínimo de tempo se tornou um desafio que somente a tecnologia Big Data pode atender. Esta análise pode produzir visões sobre tendências de mercado, prevenir doenças, correlacionar assuntos jurídicos, determinar melhores rotas logísticas, dentre outras aplicações.

Captura, curadoria, armazenamento, busca, análise e visualização são os seis pilares básicos para determinar se você precisa adotar esta tecnologia.

Você ou sua empresa enfrentam problemas similares? Então este é o momento de iniciar a implantação de Big Data em seu negócio.