A compra da Pebble pela Fitbit e a mancha no financiamento coletivo

Depois de rumores publicados pela Bloomberg no dia 7 de Dezembro, um dia após a transação foi confirmada por ambos players (https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-12-07/pebble-said-to-discuss-selling-software-assets-to-fitbit). Claramente foi uma operação para matar a Pebble, já que era um player que estava atrapalhando as vendas da Fitbit, e somente os ativos de software foram negociados.

A notícia veio como uma bomba para o mercado de Crowdfunding, já que a Pebble surgiu a partir de um financiamento coletivo pelo Kickstarter e um segundo produto da mesma empresa também estava sendo comercializado pela plataforma. Acontece que o suporte para o produto foi encerrado, assim como sua garantia e as compras do novo modelo foram suspensas e o valor só será devolvido ano que vem.

Xiaomi finalmente inicia as vendas no Brasil

Xiaomi

Em abril noticiei aqui em meu blog a chegada da Xiaomi no Brasil (http://www.renanviegas.com.br/blog/fabricante-xiaomi-iniciara-as-vendas-no-brasil-em-breve/). No dia 7 de Julho a empresa começa a realizar vendas através de seu site.

A empresa promete uma revolução no mercado, oferecendo produtos com alto poder de processamento e ótimas configurações por preços muito competitivos. Um dos modelos mais famosos, o Redmi 2, será vendido por R$ 499,00, valor que é menos de um terço de produtos similares de concorrentes com a especificação parecida.

Será que Hugo Barra vai conseguir bater de frente com a Apple e a Samsung? Aguardemos os próximos capítulos!

Fabricante Xiaomi iniciará as vendas no Brasil em breve

A Xiaomi, empresa Chinesa que já é o terceiro maior player no mercado de SmartPhones, está estruturando sua operação no Brasil. Registrada em maio no país com a razão social Xiaomi do Brasil Tecnologia Ltda, a empresa está com escritório na Vila Olímpia, zona sul da cidade de São Paulo. A fabricante teve seu primeiro smartphone homologado pela Anatel, o Redmi Note 4G. Oficialmente esta é a última barreira no processo de venda de aparelhos no país.

O certificado de conformidade técnica mostra que o Redmi Note 4G é compatível com o 4G usado pelas operadoras brasileiras e deverá ser fornecido com um potente carregador de 2 Amperes para encher a bateria de 3.200 mAh. O documento mostra apenas uma unidade fabril localizada na China, portanto, pelo menos no início, ele não deverá ganhar o benefício fiscal do governo para aparelhos com produção nacional. Porém linhas de produção da Foxconn, que tem fábricas em Manaus, Jundiaí (SP) e Indaiatuba (SP), já estão sendo adaptadas para a produção nacional.

Site em construção aberto para acesso

Site da Xiaomi no Brasil em 08/04/2015

Acessando a URL http://br.mi.com é possível ver um site em construção, com vários textos e produtos de exemplo, links que não funcionam, entre outros. Inclusive os dados da empresa não estão completos, como se pode ver na imagem abaixo:

http://br.mi.com em 08/04/2015

A tomar pela atitude de deixar um site em desenvolvimento aberto para acesso (prática amadora, consequente normalmente de baixo custo de contratação de fornecedores) existe o risco da fama negativa de produtos chineses afetarem em parte as vendas.

No ano passado, a Xiaomi contratou o brasileiro Hugo Barra, então vice-presidente para Android do Google, como seu vice-presidente global. O executivo lidera a expansão do negócio para outros dez países, entre eles o Brasil.

Conseguirá a empresa garantir uma alta penetração no mercado Brasileiro?

Pesquisa de 2015 sobre uso de SmartPhones por Americanos

O Pew Research Center liberou uma pesquisa bastante interessante sobre o uso de SmartPhones por americanos. Veja os principais destaques:

  • 64% dos adultos possuem smartphone (aumento de 35% comparado a pesquisa realizada em 2011)
  • Desse total, 10% possuem smartphones mas não possuem banda larga em casa
  • 15% utilizam o aparelho para acessar a Internet, não utilizando outros meios para contectar a rede (Computador, Notebook, etc)
  • 7% utilizam o aparelho para funções essenciais em suas atividades
  • 15% dos usuários na faixa de 18-29 anos acessam a Internet somente pelo SmartPhone
  • 62% já utilizaram o aparelho para buscar informações sobre saúde
  • 57% utilizam para operações bancárias
  • 44% utilizam para buscar imóveis para compra ou moradia
  • 43% utilizam para buscar empregos
  • 30% utilizam para educação
  • 67% utilizam o para compartilhar fotos, vídeos ou comentários sobre eventos ocorridos em seu bairro / cidade, sendo 35% utilizando com frequência tais funções
  • 56% já utilizaram o aparelho para buscar informações sobre eventos e atividades em sua região, e 18% fazem uso frequente do equipamento para tal atividade
  • 68% utilizam para obter informações sobre acontecimentos e eventos noticiados (acidentes, tempestades, etc), e 33% fazem este uso frequente
  • 67% já utilizaram como GPS para navegação e 31% fazem uso frequente desta função
  • 25% já utilizaram para buscar informações sobre transporte público, com 10% fazendo uso frequentedesta função
  • 54% dizem que o aparelho não é sempre necessário, mas 46% dizem que não conseguem viver sem

Adoraria ter acesso a alguma pesquisa nacional recente contendo as mesmas abordagens.

PDF contendo a pesquisa na íntegra: http://www.pewinternet.org/files/2015/03/PI_Smartphones_0401151.pdf

Facebook é o aplicativo mais utilizado no Brasil

Uma pesquisa recente sobre o comportamento de uso de usuários de smartphone confirmou algo que muitos suspeitavam: o aplicativo mais utilizado é realmente o Facebook. A pesquisa não levou em conta o tempo gasto no app, quesito no qual o Whatsapp é o vencedor absoluto, e sim a quantidade de pessoas que faziam uso da aplicação.

Mas como seu negócio pode aproveitar melhor o potencial desta rede social?

Ter uma página e realizar postagens periódicas é o mínimo que seu negócio precisa fazer para marcar sua presença social. Agora só isto não basta: promover integração e interatividade é a chave do sucesso. E neste ponto a Um Publicidade sabe muito bem como ajudar seu negócio. Integrar comentários da rede social em seu site, promover postagens e interação entre consumidores e sua marca ou produto é algo que traz muito resultado. Games e quiz são apenas dois exemplos quem tem sucesso certo na rede social.

Google implanta processo de aprovação de aplicativos

O Google alterou sua política de publicação de aplicativos na Play Store. Até o momento os aplicativos não passavam por um processo de aprovação e os mesmos só eram retirados do Marketplace quando eram denunciados por violar alguma das regras.

Esta decisão afeta todo o processo comercial atual, pois desenvolvedores terão acrescentar em seu cronograma mais uma fase, esta com duração variável.

Se de um lado esta decisão pode atrapalhar negócios, por outro pode aumentar a aceitação do sistema operacional, pois com a introdução deste processo a tendência é que a segurança e qualidade dos aplicativos aumente.

Em conjunto com esta mudança o Google também introduzirá classificação etária para os aplicativos. Baseado em uma série de perguntas, a empresa irá estabelecer a classificação etária utilizando padrões internacionais elaborados por organizações como a International Age Rating Coalition (IARC). A empresa irá adotar classificações genéricas para países que não possuem classificações etárias oficiais.

Xiaomi e Microsoft

Microsoft e Xiaomi estão testando uma nova abordagem frente ao Google que consiste na possibilidade de mudança de Android para Windows 10 nos aparelhos da fabricante Xiaomi, líder de mercado na China. Oferecido inicialmente sem custo para um seleto grupo de usuários, o sistema é disponibilizado na forma de ROM, que pode ser instalado no telefone substituindo o sistema Android. Xiaomi está em franca expansão mundial, inclusive contando com escritório no Brasil.

Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

Seu site está realmente funcional?

A pergunta título desta postagem é a que costumo fazer para pessoas e empresas que tenho contato. A maioria responde: sim, eu fiz um site tem uns 4 anos que está uma maravilha. Pois bem, no momento posterior a resposta costumo acessar o mesmo pelo celular e pelo tablet e sabem o que acontece? Em quase todos os casos o site aparece todo torto, sem possibilidade de navegação utilizando os dedos, dentre outros problemas.

Pequenas, médias e grandes empresas já possuem em sua maioria sites. Alguns interessantes e robustos, mas que foram feitos para serem acessados em um PC desktop ou notebook, e não foram otimizados para o estilo de vida móvel do funcionário e do cliente da atualidade. Essa falta de adaptação cria uma experiência negativa para o usuário, que tenta obter informações e até contratar serviços mas não consegue por barreiras tecnológicas de dispositivos móveis, sejam elas conexão ou mesmo falta de suporte mobile.

O tráfego móvel global já representa 29% de todo o tráfego de internet – e está crescendo a cada ano, sendo que no Brasil já passamos de 47%, sendo que um novo segmento começa a ganhar volume: o de SmartTV. Já passou da hora de pensar no design de conteúdo online para dispositivos diferentes de desktop e notebook.

O design responsivo não é nenhum bicho de sete cabeças, mas você precisa estar atento às necessidades desse segmento em rápida mudança – sem estourar seu orçamento de TI. Diferentes dispositivos têm diferentes resoluções de tela, tamanhos e capacidades de navegação. Um site utilizando design web responsivo adapta o layout de acordo com o ambiente de visualização, seja um dispositivo portátil como um smartphone, monitor de um computador desktop ou mesmo de SmartTV. A navegação no site deve ser ajustada de uma funcionalidade de mouse e teclado para uma que permita ao usuário interagir através da tela de toque do celular, tablet ou TV. Um site que não seja otimizado para dispositivos móveis em breve não terá uso para seus clientes. Sites precisam poder ser vistos em diversas plataformas, sem sacrificar a experiência e sem sobrecarregar os desenvolvedores.

Se você der a seus visitantes uma experiência consistentemente boa em qualquer dispositivo, existe uma grande chance de conseguir retê-los como usuários e possivelmente convertê-los em clientes. Já o contrário… Bom, acho que nem preciso completar a frase.

Então, que tal parar de perder novos usuários e clientes? Entre em contato para contratar a auditoria web, que irá levantar os pontos fracos em seu site, possibilitando assim sucesso total com seus clientes.

Alerta Heartbleed: sua senha e seus dados podem ter sido hackeados

heartbleed

A notícia de tecnologia bombástica da semana foi a descoberta de um bug nominado Heartbleed na amplamente usada biblioteca de criptografia OpenSSL. A descoberta da vulnerabilidade foi feita por pesquisadores do Google e da Codenomicon, uma pequena empresa de segurança. Através do erro é possível copiar dados dos dispositivos vulneráveis, possibilitando descoberta de senhas, invasão, entre outros.

O problema afeta usuários de vários sites do mundo, inclusive grandes portais e serviços, já que a OpenSSL é usada em cerca de dois terços de todos os servidores de Internet. O bug permanece até que sites vulneráveis tomem medidas para garantir a segurança de suas comunicações. Ele pode levar ao roubo de senhas, comunicações confidenciais, número de cartão de crédito e outros dados privados.

Representantes do Google, Yahoo e Facebook disseram à Reuters que usam OpenSSL e que já tomaram medidas para mitigar quaisquer impactos para os usuários. Porém o alerta é válido para todo e qualquer site, seja ele informativo, de comércio eletrônico, bancos, entre outros.

Não há nada que os usuários possam fazer para “consertar seus computadores”. O problema está nos servidores e até que estes sites vulneráveis tomem medidas para garantir a segurança de suas comunicações, o usuário só pode contar com a sorte. Sites e empresas de que tenham certificados digitais, após a atualização/correção do problema, devem emitir novos certificados e chaves usados para a criptografia de tráfego de Internet com navegadores de Web (Firefox, Internet Explorer, Google Chrome, etc).

Além de servidores, a biblioteca também é utilizada por sistemas operacionais de SmartPhones, como o Android. Porém, a probabilidade de problemas neste caso é bem menor.

Procure trocar todas as suas senhas, mas evite mudá-las até que você tenha como ter certeza que os serviços protegidos por essas senhas não têm a vulnerabilidade Heartbleed. Uma dica é conferir no site http://filippo.io/Heartbleed/. Além disso, considere a adoção de autenticação de dois fatores (2FA) sempre que puder. Google e outros já utilizam este método.

Mais informações sobre o problema:
http://heartbleed.com/

Para verificar se o site usa a versão problemática do OpenSSL:
http://filippo.io/Heartbleed/

Para verificar se seu aparelho Android usa a versão problemática do OpenSSL:
Heartbleed Detector
https://play.google.com/store/apps/details?id=com.lookout.heartbleeddetector

Se você utiliza o browser Google Chrome, pode instalar o seguinte plugin:
ChromeBleed

E se você quiser a explicação técnica em detalhes do problema, recomendo este link:
http://nakedsecurity.sophos.com/2014/04/08/anatomy-of-a-data-leak-bug-openssl-heartbleed/