Olá, sua empresa foi hackeada

Imagine receber uma mensagem com este título? Preocupante, não? Mas o fato é que mais de 98% dos sites e sistemas possuem algum tipo de falha. Estas falhas de segurança podem ser extremamente danosas, podendo interromper a operação de uma empresa inteira e até decretar a falência de um negócio.

Validações mal feitas ou inexistentes, arquitetura ruim, infra falha, falta de controle de nível de acesso são as principais razões por trás destes problemas. Qualquer site ou sistema que esteja acessível via Internet tem este risco potencializado.

Algumas empresas focam na velocidade para se lançar o produto no mercado, e com isso costumam ser as mais afetadas. Nestes casos a qualidade e segurança são sempre deixadas para depois. Muitas vezes o custo também tem um grande peso, fazendo com que investimentos em segurança necessários sejam negligenciados. Centenas de erros e brechas ao longo de toda a estrutura virtual da empresa vão acumulando. A tendência é que em pouco tempo todo o legado acabe se tornando um passivo muito oneroso, virando uma bola de neve.

Um exemplo recente foi o caso do site Trampos.Co. Um profissional de segurança chamado Rafael Fidelis resolveu fazer alguns testes básicos no processo de pagamentos do site. Ao longo destes testes descobriu 2 falhas bastante graves que permitiam o uso de cartões de crédito de outros usuários para efetuar pagamentos de assinaturas. (caso deseje maiores informações: http://www.fidelis.work/como-eu-usei-o-cartao-de-credito-do-ceo-do-trampos-co-para-pagar-minha-assinatura-premium/).

Quando foi a última vez que um consultor externo realizou uma auditoria para validar a segurança de seu sistema e site? Muitos responderão: nunca.

Vai esperar algo acontecer ou tomar uma atitude preventiva? Que tal começar por uma consultoria pontual para levantar seu atual panorama? Vamos agendar uma reunião ou mesmo uma teleconferência para conversar sobre isso? Abaixo meus contatos:

E-mail: contato@renanviegas.com.br
Skype: renanviegas
Celular: (21) 98374-8413

Seu site está realmente funcional?

A pergunta título desta postagem é a que costumo fazer para pessoas e empresas que tenho contato. A maioria responde: sim, eu fiz um site tem uns 4 anos que está uma maravilha. Pois bem, no momento posterior a resposta costumo acessar o mesmo pelo celular e pelo tablet e sabem o que acontece? Em quase todos os casos o site aparece todo torto, sem possibilidade de navegação utilizando os dedos, dentre outros problemas.

Pequenas, médias e grandes empresas já possuem em sua maioria sites. Alguns interessantes e robustos, mas que foram feitos para serem acessados em um PC desktop ou notebook, e não foram otimizados para o estilo de vida móvel do funcionário e do cliente da atualidade. Essa falta de adaptação cria uma experiência negativa para o usuário, que tenta obter informações e até contratar serviços mas não consegue por barreiras tecnológicas de dispositivos móveis, sejam elas conexão ou mesmo falta de suporte mobile.

O tráfego móvel global já representa 29% de todo o tráfego de internet – e está crescendo a cada ano, sendo que no Brasil já passamos de 47%, sendo que um novo segmento começa a ganhar volume: o de SmartTV. Já passou da hora de pensar no design de conteúdo online para dispositivos diferentes de desktop e notebook.

O design responsivo não é nenhum bicho de sete cabeças, mas você precisa estar atento às necessidades desse segmento em rápida mudança – sem estourar seu orçamento de TI. Diferentes dispositivos têm diferentes resoluções de tela, tamanhos e capacidades de navegação. Um site utilizando design web responsivo adapta o layout de acordo com o ambiente de visualização, seja um dispositivo portátil como um smartphone, monitor de um computador desktop ou mesmo de SmartTV. A navegação no site deve ser ajustada de uma funcionalidade de mouse e teclado para uma que permita ao usuário interagir através da tela de toque do celular, tablet ou TV. Um site que não seja otimizado para dispositivos móveis em breve não terá uso para seus clientes. Sites precisam poder ser vistos em diversas plataformas, sem sacrificar a experiência e sem sobrecarregar os desenvolvedores.

Se você der a seus visitantes uma experiência consistentemente boa em qualquer dispositivo, existe uma grande chance de conseguir retê-los como usuários e possivelmente convertê-los em clientes. Já o contrário… Bom, acho que nem preciso completar a frase.

Então, que tal parar de perder novos usuários e clientes? Entre em contato para contratar a auditoria web, que irá levantar os pontos fracos em seu site, possibilitando assim sucesso total com seus clientes.

Saiba o que é CDN e por que você deve implementar em seu site

Todo webmaster e gestor de projetos web é familiar com a máxima que conteúdo é a arma de seu negócio. Porém, muitos não levam em consideração pequenos detalhes que podem diminuir a experiência de uso de sua audiência: o tempo de carregamento de uma pagina. Por mais irresistível que seja seu conteúdo, se ele demora a carregar, não irá atrair tanta atenção dos usuários e consequentemente provocar uma evasão de consumidores.

Então, qual solução devo adotar? A resposta é contratar um Content Deliver Network (CDN). Veja abaixo cinco razões:

  1. PerformanceO mais óbvio dos benefícios do CDN. Pela existência de cache, distribuição geográfica de servidores, o conteúdo é servido de maneira rápida, considerando o nó de rede mais próximo de seu requisitante. Isto reduz a latência e perda de pacotes, permitindo menor tempo de carga e maior qualidade em streaming.
  2. ConfiabilidadeCom a distribuição de seu conteúdo por vários servidores, uma eventual queda de rede de alguma rota não irá afetar em nada seu conteúdo. Mesmo sob ataques hacker como o DoS, a infra distribuída é capaz de neutralizar o impacto, mantendo a disponibilidade de seu site.
  3. Escalabilidade 

    Com o aumento crescente de dados (textos, imagens, vídeos, etc), você deve estar preparado para picos de tráfego com alto consumo de banda.

  4. Economia financeira 

    A partir do momento que você repassa conteúdos estáticos para servidores específicos para tal, o poder de processamento diminui e fica direcionado nos servidores de negócio, deixando a cargo do CDN o provimento desse conteúdo, reduzindo o custo total de hospedagem.

  5. Posicionamento no resultado de sistemas de busca 

    Além dos quatro benefícios citados acima, um outro ponto bastante importante surge em contexto: o posicionamento em sites de busca. Google e outros sites de busca possuem em seu algorítimo de posicionamento o tempo de carga de cada página. Quanto maior a velocidade de carga de seu site, maiores as chances de ter um bom posicionamento nos resultados de busca.

Empresas de todos os portes estão adotando esta solução. Microsoft, Oracle, IBM, portais de conteúdo e muitos outros já estão aproveitando os benefícios do CDN. E você, o que está esperando?

O cliente auto-destrutivo

Um website é composto da união entre marketing, design e tecnologia da informação. Portanto, o planejamento deve estar presente na concepção estratégica, na criação do projeto gráfico e no desenvolvimento tecnológico. Quando uma empresa busca um profissional ou uma empresa para a implementação de um projeto web, na maioria das vezes as premissas básicas de projeto não foram cumpridas.

Um projeto web, assim como qualquer projeto, deve possuir um planejamento bem elaborado e com objetivos claros. O planejamento é uma técnica e, como tal, se aplica de acordo com a situação e a finalidade. O papel do planejamento é orientar o esforço do trabalho para a obtenção de um resultado.

Um website tem como objetivo principal atingir um nicho de consumidores e/ou potenciais consumidores. Para atingir este público é necessário estudo e criatividade. Qualquer atividade que envolva criação em seu processo, depende da liberdade para atingir seu objetivo com êxito. Diferente do trabalho executado por um arquiteto de casas, onde o objetivo principal é elaborar uma construção de acordo com os anseios do cliente, um arquiteto web deve implementar o projeto pensando no público alvo que, na maioria dos casos, não é a empresa contratante, e sim, os clientes desta empresa.

O principal, ao meu ver, é compreender exatamente o que o cliente precisa e então argumentar com o mesmo a melhor solução para as questões apresentadas. Clientes dos mais variados segmentos tendem a opinar no design e na navegabilidade do projeto web.

O papel de um arquiteto web é mapear o perfil do público alvo de um produto ou serviço e desenvolver o projeto de design e usabilidade focado neste público. Quando o cliente interfere incisivamente neste processo, o resultado final certamente fica comprometido. O cliente, por incrível que pareça, é um dos maiores responsáveis pelo fracasso de um projeto web.

Não adianta projetar um site de óculos para leitura baseado em uma resolução de vídeo de 1280×1024 e uma tipografia estilizada tamanho mínimo para um público que está buscando o site justamente para encontrar o produto que resolva seu problema.

Não há mais espaço para amadorismo. Se um cliente contratar você ou sua empresa para desenvolver um projeto web, busque sempre o êxito máximo. Somente profissionais qualificados tem a competência para elaborar e implementar um projeto alcançando o resultado esperado pela empresa. Portanto, estude e mantenha-se atualizado.